sábado, 8 de novembro de 2014

Jesus poderia ter desistido

 

Jesus poderia ter desistido. Ninguém teria sabido. Jesus poderia ter desistido.
            

           Um olhar para o útero já poderia tê-lo desencorajado. DEUS é tão sem amarras quanto o ar e tão sem limites quanto o céu. Reduziria o seu mundo ao ventre de uma jovem durante nove meses?
 

           E nove meses? Aqui outra razão razão para desistir. No paraíso tem todo o tempo. O nosso tempo é que está acabando. O nosso tempo passa tão depressa que a nossa medida é o segundo. Cristo não teria preferido ficar do outro lado da cadeia do tempo?
 

           E o estábulo. Também não é a outra razão para Cristo recuar: Estábulos são mal-cheirosos, sujos. Estábulos não têm piso de linóleo nem balões de oxigênio. Como vão cortar o seu cordão umbilical? Como vão cortar o cordão umbilical? José? Um obscuro carpinteiro de uma cidade que só tinha um camelo? Não há por aí um pai adotivo melhor para Deus? Alguém instruído, de uma família "mais importante". Alguém com um pouquinho de influência? Esse sujeito não conseguiu nem mesmo um quarto de hotel. Você acha que ele tem os atributos necessários para ser o pai do Criador do Universo?
 

           Jesus poderia ter desistido. Imagine a mudança que teve de sofrer, a distância que teve de viajar. Como será que é tornar-se carne?
 

          O amor percorre todo o caminho... e Cristo viajou da eternidade sem limites até ser confinado pelo tempo, para tornar-se um de nós. Não precisava ter feito isso. Jesus poderia ter desistido. A qualquer momento, ao longo do caminho, poderia ter desistido. A qualquer momento, ao longo do caminho, poderia ter "jogado a toalha".
 

          Jesus não fez isso,porque é amor. E "o amor... tudo suporta"1Co 13:4-7. Cristo suportou  a distancia. E, além, disso, suportou a resistência.

"E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória" João 1:14

E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória,

João 1:14