domingo, 20 de maio de 2012

Todos devem servir - Watchman Nee

 
Um ensino prático sobre o serviço dos membros, dirigida aos irmãos que têm responsabilidade na obra e nas igrejas.


Vocês têm que trabalhar até que chegue o dia em que todos os irmãos e irmãs se apresentem para servir, o dia em que todos os santos participem, todos sirvam a Deus, e cada um seja um sacerdote. Então verdadeiramente vocês verão o que é a igreja.


Eu não sei se vocês viram este caminho ou não. Vocês têm que entendê-lo. Tudo depende de vocês. Vocês mesmos devem dar-se a um certo número de pessoas, e eles por sua vez devem dar-se a todos os irmãos e irmãs. Se vocês não podem fazer que todos os irmãos e irmãs se levantem para servir a Deus e para tomar a responsabilidade nos assuntos da igreja, vocês terão fracassado totalmente, em virtude disso não seria a igreja.

Vocês precisam mostrar aos anciões que não importa quanto se esforcem, eles são muito poucos para poder dirigir os assuntos da igreja adequadamente. Eles somente são cuidadores e não devem tratar de fazer tudo sozinhos. Eles não devem substituir à igreja fazendo tudo; pois bem, devem fiscalizar à igreja para que tudo seja feito. Não é uma questão de que eles mesmo façam, mas sim de fiscalizar, observar, encorajar, e lhes ensinar a fazê-lo, e fazer que todos na igreja participem. A partir desse momento vocês terão a realidade da igreja.

Permitam-me dizer algo que tenho dito por muitos anos. Hoje em dia tenho um sentimento particularmente profundo a respeito. O número de pessoas que servem determina o número de pessoas na igreja. Daí que não deve haver mil ou cinco mil irmãos em uma localidade e somente uns tantos servindo. Em um lugar, a quantidade de pessoas que prestam serviço é a quantidade de pessoas na igreja. O número de sacerdotes determina o povo de Deus. Não devemos tolerar que nenhum membro careça de função. Por favor, recorde que você, como membro do corpo de Cristo, tem uma função. Se não entender este princípio básico, não fará um bom trabalho.

Irmãos e irmãs, falando com franqueza, vocês como obreiros e colaboradores, não podem fazer a obra. Isso não é o Novo Testamento, mas sim um sistema de sacerdotes. Nós não temos um sistema de sacerdotes, e sim, um corpo de sacerdotes. Cada um é um sacerdote.

Os de um talento devem servir

Vocês têm o hábito natural de usar somente os que têm dois talentos. A história da igreja sempre foi assim. Os que têm cinco talentos podem avançar por si só; não há necessidade de cuidá-los. Mas os de um só talento é muito difícil lhes ajudar. Uma palavra ou duas, e eles enterram seu talento de novo. Os de dois talentos, são os mais disponíveis. Têm certa habilidade, eles podem fazer bem as coisas, e não enterram seus talentos. Mas se vocês somente podem usar os de dois talentos, e não podem usar os de um talento, fracassaram totalmente.

Tenho dito isto no Fuchou, tenho-o dito também em Shangai, e o direi de novo hoje. O que é a igreja? A igreja é todos os de um talento que devem participar no serviço da igreja, na parte prática e na parte espiritual. Você não pode menear a cabeça e dizer: «Este é inútil», e «Aquele é inútil». Se você disser que este é inútil e que aquele é inútil, a igreja está acabada e você fracassou totalmente. Se você pensar que ele é inútil, ele verdadeiramente será inútil. Você pode dizer-lhe que de acordo a si mesmo, ele presupõe ser inútil, mas que o Senhor lhe deu um talento e deseja que todos os de um talento saiam e negociem. O Senhor pode usá-los. Se você não pode usar os de um talento, isso prova que diante do Senhor você não pode ser um irmão com responsabilidade. Você tem que usar a todos os irmãos e irmãs que são «inúteis». Este é o trabalho dos irmãos que estão na obra. Não devem usar somente os irmãos e irmãs úteis, mas sim também devem fazer que todos os irmãos e irmãs inúteis sejam úteis.

O princípio básico é que o Senhor não deu a ninguém menos de um talento. Na casa do Senhor, não há nem um só servo que não tenha um dom; cada um tem ao menos um talento e não pode ter menos de um talento. Ninguém pode desculpar-se dizendo que o Senhor não lhe deu um talento. Queria que vocês se dessem conta de que todos os filhos de Deus são servos diante dele. Se são filhos, são servos. Em outras palavras, se são membros, têm um dom; se são membros, são ministros. Se pensarmos que há alguém a quem o Senhor não pode usar, não conhecemos nada da graça de Deus absolutamente. Devemos conhecer a graça de Deus tão profundamente que quando Deus chama a alguém seu servo, nunca nos levantemos para dizer que não o é. Hoje, se você pudesse escolher, talvez selecionaria três ou quatro de toda a igreja. Mas Deus diz que todos são servos. Já que Deus diz isto, devemos deixá-los que sirvam.

Irmãos e irmãs, de agora em diante, se prosseguimos em nossa obra ou não, e se esta obra tem êxito ou não, depende do que podemos dizer hoje de nossa obra diante do Senhor. Há somente alguns trabalhando? Há só alguns especialmente dotados fazendo a obra? Ou todos os servos do Senhor participam do serviço e toda a igreja está servindo? Este é todo o problema. Se este problema não pode ser resolvido, não temos nada.

O corpo de Cristo não é uma doutrina, mas sim algo vivo. Todos devemos aprender isto: somente quando todos os membros funcionam, temos o corpo de Cristo. Só quando todos os membros funcionam, tem-se a igreja.

Pregar somente sobre o corpo de Cristo é inútil; devemos deixar que o corpo trabalhe e expresse suas funções. Já que é o corpo de Cristo, não devemos temer que lhe faltem funções. O Senhor deseja que cada membro em cada localidade se levante e sirva.

Se tenho razão, de acordo com o meu discernimento, é possível que a hora tenha chegado. As cartas que recebi de diferentes lugares e as notícias que ouvi de toda parte indicam que hoje em toda parte todos os santos estão preparados para apresentar-se para servir. Deus tem ido adiante de nós; nós devemos seguí-lo.

É meu desejo que nenhum irmão entre nós saia e em vez de guiar os irmãos e irmãs a servir, substitua-os, sendo assim um fracasso. Espero que quando você for a um lugar, no começo guie a oito ou dez para que sirvam, e depois de certo tempo eles guiarão a sessenta, a oitenta, ou a cem para que sirvam ali. Então na próxima visita que você fizer, talvez veja mil ou duas mil pessoas servindo. Isto é o correto. Se você tiver que usar os de cinco talentos reprimindo aos de um talento, você não é servo do Senhor. Você deve fazer que todos os de cinco talentos se levantem e sirvam, e que todos os de dois talentos se levantem e sirvam, e também devem fazer que todos os de um talento se levantem e sirvam. Deve fazer que se levantem e sirvam também aqueles que você pensa que não são úteis. Assim aparecerá a igreja gloriosa.

Em Fuchou preferiria ver todos os camponeses simples servindo, do que três ou cinco irmãos destacáveis pregando. Não admiro aqueles que se sobressaem. Eu gosto dos de um talento. O Senhor poderia nos dar, em sua graça, mais Paulos e mais Pedros, mas não o tem feito. O mundo inteiro está cheio de irmãos e irmãs de um talento. O que faremos com esta gente? Onde vamos pô-los?

Neste treinamento aqui na montanha, se Deus tratar verdadeiramente com nosso eu e com nosso trabalho a tal ponto que saiamos a prover uma maneira para que todos os de um talento sirvam, pela primeira vez a igreja começará a ver o que é o amor fraternal, e Filadélfia aparecerá.

O serviço sacerdotal

Primeiro, devemos estabelecer o princípio de que todos os filhos de Deus são sacerdotes que devem servir a Deus. Tendo em conta este princípio, vejamos como podemos guiar a todos os irmãos e irmãs a ser sacerdotes em uma igreja local.

Em outras palavras, vejamos que classe de reparos devemos fazer no trabalho espiritual a fim de que todos os crentes possam participar das coisas espirituais, tanto os novos crentes como os que conheceram ao Senhor por muitos anos. Precisamos ver quais coisas espirituais em uma igreja local podem ser atendidas pelos irmãos e irmãs.

O primeiro, é a pregação do evangelho. O segundo, visitar os novos crentes trazendo-os pelo caminho reto e lhes mostrando como ser cristãos. O terceiro, na igreja há muitas outras necessidades. Alguns crentes têm dificuldades em suas famílias; alguns têm enfermidades; outros sofrem pobreza; outros têm mortes ou outros acontecimentos em suas famílias. Esta gente também necessita do serviço e da ajuda da igreja. Podemos qualificar tais serviços como visitas aos que estão em situações especiais. Esta é outra coisa que podem fazer todos os irmãos e irmãs. O quarto assunto é o cuidado dos irmãos que se mudaram para longe, e dos que chegaram de outro lugar.

Na Bíblia, a igreja é uma igreja que prega o evangelho, uma igreja que visita às pessoas, e uma igreja que cuida de outros. É o corpo de Cristo em uma localidade. No corpo de Cristo não há membros inativos. Se algum dia pudesse haver um grupo de irmãos ou inclusive uma igreja inteira, em que todos servem, todos cuidam das coisas espirituais adequadamente, todos tomam responsabilidade, e todos estão ocupados, então isso seria o verdadeiro corpo de Cristo.

Se houver uma igreja local com dois mil irmãos e irmãs, e somente quinhentos servem, enquanto mil e quinhentos não o fazem, deveria nos parecer algo estranho. Se houver quinhentos irmãos e irmãs, devem ser, então, quinhentos os que servem; de outra maneira, os irmãos mais responsáveis não poderão agüentar a carga.

O serviço levítico

Há também outra área de serviço, o serviço levítico, que se refere ao serviço dos assuntos práticos. No Antigo Testamento, os levitas lavavam os bezerros, derramavam o sangue, levavam para fora o esterco, ajudavam a esfolar as ofertas e também transportavam o equipamento do tabernáculo. Todas estas coisas são o serviço levítico.

Sem importar que classe de assunto seja, todos devem pôr as mãos nisso. Há muitas coisas que podemos considerar diante do Senhor: o trabalho da limpeza; o acerto do salão e o trabalho de acomodar; a necessidade de encarregar-se do partir do pão e dos batismos; dar aos pobres entre os incrédulos; cuidar dos pobres que há na igreja; a recepção e envio de irmãos; a contabilidade; o serviço da cozinha; a oficina de serviço; o serviço de transporte; o trabalho do escritório; a ajuda aos irmãos pobres em seus afazeres domésticos.

Eu sempre espero que cada irmão e irmã tome encargo pelos assuntos práticos. Nunca permita que exista uma situação onde alguns tenham o que fazer enquanto que outros não estejam fazendo nada. O serviço da igreja sempre é para todos.

Terá que tratar com a carne dos de um talento sem prescindir deles

Se o Senhor puder realmente abrir passagem em nosso meio, o caminho que tomamos nos últimos dez, vinte ou trinta anos será completamente mudado. O ponto de vista de vocês não pode ser o mesmo de antes; tem que ser quebrantado e esmagado.

Primeiramente, vocês não devem usar a um irmão somente porque é útil nem deixá-lo fora se não o for. Na igreja nenhum membro deveria ser deixado fora. Esta não é a maneira que procede o Senhor. Hoje em dia, se o Senhor tiver que recuperar seu testemunho, ele deve fazer que todos os membros de um talento se levantem. Todos os que pertencem ao Senhor são os membros do corpo. Cada um deve levantar-se e deve estar em sua função. Se isto ocorrer, vocês verão a igreja. Hoje em dia, enquanto vocês estão aqui na montanha, considerem cada lugar. Vocês quase têm que dizer: Onde está a igreja? Onde está Cristo? Parece que nem a igreja nem o Senhor estão por aí. Quando saírem para trabalhar, nunca desprezem os membros de um talento, nunca os substituam, nunca os reprimam. Têm que confiar neles de todo coração. Vocês devem fazer que eles trabalhem. Se Deus tem a segurança de chamá-los a ser servos, vocês também devem ter a segurança de chamá-los a ser servos.

Em segundo lugar, na igreja não tememos às atividades carnais. Duas linhas têm que ser estabelecidas na igreja: alguém é a autoridade e a outra é o dom. Todos os de um talento tem que vir e servir, trabalhar e dar fruto. Vocês talvez perguntem: «Se todos os de um talento aparecem com a sua carne e tudo, o que faremos?». Deixem-me dizer-lhes que a carne deve ser tratada, e a maneira de tratá-la é usar a autoridade que representa a Deus.

O dom e a autoridade são duas coisas completamente distintas; o dom é o dom e a autoridade é a autoridade. Os de um talento devem usar seu dom. E com os que são carnais, vocês devem fazer uso da autoridade. Se um irmão permitir que sua carne interfira enquanto está trabalhando, deve dizer-lhe: «Irmão, isso não está bem. Você não deve deixar que sua carne interfira». Digam-lhe: «essa atitude é incorreta. Não permitimos que tenha essa atitude». Quando lhe falarem dessa maneira, no dia seguinte provavelmente ele irá para a sua casa e desde então não fará mais nada. Então vocês têm que buscá-lo e dizer-lhe: «Não, você ainda tem que fazer o trabalho». É possível que a carne surja de novo, mas mesmo assim vocês devem deixar que faça o trabalho. Devem lhe dizer de novo: «Você deve fazer isto, mas não lhe permitimos que faça aquilo». Sempre faça uso da autoridade para tratar com ele.

Esta é a maior prova. Uma vez que o Senhor use aos de um talento, a carne deles imediatamente se misturará. A carne e «um talento» estão unidos. Devemos resistir a carne, mas temos que usar aos de um talento. A situação de hoje em dia é que nós enterramos a carne, eles enterram o talento, e a igreja fica sem nada. Isto não pode acontecer! Temos que fazer uso da autoridade para tratar com a carne, mas também temos que pedir-lhes que manifestem seu talento. Talvez digam: «Se trabalho, não está bem, e se não o faço, tampouco está bem. Então o que farei?». Vocês devem lhes dizer: «É obvio, que se trabalhar e introduzir a carne prejudica; mas se não trabalhar, também prejudica porque enterra o talento. O talento deve entrar, mas não a carne».

Na igreja, pode manter-se a autoridade e pode incluir-se funções de todos os membros, você verá uma igreja gloriosa na terra e o caminho da restauração será fácil. Não sei quantos dias mais o Senhor pôs diante de nós. Creio que nosso caminho será mais e mais claro. Temos que usar todo nosso entendimento e todas as nossas forças para que todos os irmãos e irmãs se levantem para servir. Quando esse tempo chegar, a igreja será manifestada, e o Senhor retornará. Que o Senhor seja misericordioso e tenha graça para conosco, para que façamos o melhor.

Extraido de uma mensagem que o autor deu a obreiros e colaboradores na China, em 1948.