terça-feira, 20 de setembro de 2011

Gary Haynes - O Poder da Língua


  

Você pode usar sua língua para abençoar ou amaldiçoar, isso depende única e exclusivamente de você, mais não se esqueça tudo o que você planta certamente você colherá; você pode ser benção ou maldição é você que escolhe a escolha está em suas mãos.


Palavras de autoridade contra Satanás

       Deus pôde operar assim naquele dia porque, ao invés de tentar se proteger com as mãos naturais, Marlon se protegeu com a força de Jesus, liberada através de suas palavras de fé. Quando enfrentamos o inimigo precisamos entender a tremenda força que há em liberar o poder de Deus através de palavras de autoridade contra Satanás e os demônios. Jesus especificamente nos deu essa autoridade. Vejo isso claramente quando Ele diz: "Eu lhes dei autoridade para pisarem sobre cobras e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo" (Lc 10.19 - NVI).
            Precisamos tomar posse da autoridade que Jesus nos deu com ousadia e intrepidez se quisermos ver Satanás ser posto em fuga. E o que falamos tem uma influência monumental nessa guerra travada contra o Diabo.

O PODER DA PALAVRA FALADA PARA CURAR

       Um homem impressionou Jesus profundamente por entender de forma profunda esse princípio. Foi um centurião romano que procurou o Senhor para que curasse o seu servo. Jesus logo se prontificou a acompanhá-lo à sua casa para ministrar a cura. Era o que todos que solicitavam ajuda pediam: uma visita pessoal e um toque das suas mãos restauradoras. Mas esse oficial romano foi bem diferente dos outros pois entendia algo que a grande maioria não compreendia.
       O que era diferente nele? Ele entendia o poder da palavra falada para concretizar o milagre. Ele respondeu a oferta de Jesus, de ir à sua casa, com a seguinte frase: "Senhor, não sou digno de que entres debaixo do meu telhado, mas dize somente uma palavra, e o meu criado há de sarar".
       Jesus ficou tão impressionado que disse que em todo Israel não havia encontrado outra pessoa com tamanha fé! Por quê? Simplesmente porque o centurião entendia o princípio espiritual do poder da palavra falada para que Deus realize milagres.
       Volte a ler os relatos dos evangelhos nas passagens em que Jesus curou os enfermos e expulsou demônios.
       Você vai perceber algo fascinante: o Senhor raramente orava para curar alguém. Ele simplesmente dizia as palavras e as pessoas eram curadas ou libertas.
       Com certeza, Jesus orava, e muito, mas quase sempre antes e depois da hora do milagre. Orava para ter comunhão com Deus Pai e para se preparar, mas raramente na hora em que estava realizando curas e libertações do poder do Diabo. Ele simplesmente ordenava e as coisas aconteciam. Disse que era exemplo para nós, que poderíamos fazer - de forma igual - tudo o que fez em seu ministério aqui na Terra. Isso significa que também devemos aprender a usar o poder do nome de Jesus para ordenar e ver as pessoas curadas e libertas.