domingo, 3 de fevereiro de 2013

JORDÃO: TRATANDO COM A MORTE


O rio Jordão assinala o poder da morte, e, porconseguinte, cruzar o rio Jordão significa vencer amorte. Isso é o arrebatamento1. Essa faceta da jornada tem uma relação es-pecial com o Senhor Jesus, já que o próprio Senhorfoi batizado no rio Jordão. O fato de Ele ter descidoàs águas batismais indica a morte. O fato de Ele ter subido das águas denota aressurreição. Ele vence a morte por meio do poderda ressurreição. O maior poder de Satanás, conforme sabemos,é a própria morte (veja 1 Co 15.26). É como se oSenhor desafiasse Seu inimigo ao dizer: "Faça o quepuder Comigo" (cf. Hb 2.14). E, de fato, Satanás fazo melhor que pode. No entanto, Deus tem o poder daressurreição. Satanás almeja matar completamente o Senhor,embora Ele tenha a vida que não pode ser tocada ouapoderada pela morte. O Senhor, conforme dizem asEscrituras, sofreu numa terra seca! Com exceção daressurreição do Senhor, não há poder que possavencer a morte. A vida que recebemos, ao tempo daregeneração, é essa vida da ressurreição. E o poderda vida ressurreta afugentará toda morte. Ou seja... nosso corpo mortal será transformado num corpo deglória, como o do Senhor... (Fl 3.17).
 Cruzar o mar Vermelho e atravessar o rio Jordão têm significados muito diferentes. Cruzar o marVermelho foi um acontecimento forçado pelas circunstâncias. Os filhos de Israel foram perseguidos pelos inimigos egípcios e teriam sido mortos se não otivessem cruzado. Atravessar o rio Jordão, todavia, foi uma ação voluntária. Nos dias de hoje, algumas pessoas recusam-sea cruzar o rio Jordão e não buscam o poder da Sua ressurreição. Porém, Paulo estimava muitíssimo este poder e, por isso, buscava-o com diligência (Fp3.10-12). Todos os filhos de Deus foram ressuscitadoscom o Senhor. Entretanto, muitos não conhecem opoder da ressurreição do Senhor na prática.Portanto, eles não experimentam a vitória sobre amorte. Neste momento histórico, quando o arre-batamento está próximo, os crentes devem, enfim,vencer o último inimigo — a morte. Precisamosvencer a morte (seja ela física, mental ou espiritual). O mundo hodierno está repleto de uma at-mosfera mortal. Por um lado, muitas pessoasusadas pelo Senhor costumam sofrer fraqueza físicae enfermidade. Por outro lado, a mente de muitossantos parece estar paralisada: seus pensamentos, amemória e a concentração não estão tão alertas como antes. Além do mais, o espírito de muitos crentes parece estar envolto pela morte, ou seja,inativo, sem poder, encolhido, paralisado e incapazde enfrentar o meio ambiente. Por conseguinte, nos dias que antecedem oarrebatamento, os crentes devem aprender aatravessar o rio Jordão, isto é, vencer a morte. Devemos aprender a resistir ao poder da morte em nosso corpo e nas circunstâncias da vida. Devemos provar o poder da ressurreição em todas as coisas. Precisamos testificar, mais e mais, o fato de nossoSenhor ter sido ressuscitado dentre os mortos e denós, que estamos unidos a Ele, também termos sidoressuscitados. A fim de recebermos o espírito de Eliseu echegarmos ao arrebatamento de Elias, devemospartir de Gilgal, viajar até chegar ao rio Jordão eatravessá-lo. O Espírito Santo só pode descer sobre aquelesque estão repletos da vida da ressurreição. Nãoimagine que, tão logo sejamos regenerados, seremosarrebatados. Deus não pode levar alguém que nãoestá preparado. Por isso, antes que possamos ter umarrebatamento como Elias, devemos passar pelasexperiências de Gilgal, Betel, Jericó e rio Jordão. Deus nos diz que seremos arrebatados. Então, façamos o que devemos fazer começando de Gilgal e terminando pela outra margem do Jordão. Descobriremos que Deus estará ali esperandopor nós!