sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Não exclua a DEUS

"A admoestação para "não ter medo" é frequentemente repetida nas Escrituras. Medo é descrito como escravidão (Romanos 8.15), tormento (1 João 4.18) e cilada (Provérbios 29.25). Muitas vezes a frase "não te espantes" (literalmente "desesperar, entrar em pânico") segue a recomendação para "não temer".
As Escrituras oferecem uma longa lista de coisas com as quais os crentes não devem se preocupar:
- provisão (Mateus 6.25),
- inimigos (Deuteronômios 1.21),
- outros deuses (2 Reis 17.35), 
- morte (Salmos 23.4), 
- exércitos e guerras (Salmos 27.3), 
- reputação (Salmos 71.24), 
- dias maus (Salmos 49.5), 
- filhos (Salmos 127.3), 
- futuro (Salmos 139.1-6), 
- pavor repentino (Provérbios 3.25-26), 
- segurança (Mateus 10.28), 
- eventos além dos eu controle (Mateus 8.26), 
- saúde (2 Coríntios 12.7-10), 
- ansiedade (Filipenses 4.6-7), 
- ameaças dos outros (1 Pedro 3.14) 
- e sofrimento (Apocalipse 2.10).
São oferecidas também razões para não ter medo: 
- você é criação de Deus (Isaías 44.2); 
- ele luta por você (Êxodo 14.13); 
- você é amado (1 João 4.9); 
- ele é seu auxílio (Hebreus 13.6); 
- você é mais valioso do que os pardais (Lucas 12.7). 
A razão mais citada é a presença de Deus (Gêneses 26.24; Deuteronômio 31.8;Romanos 8.15). 
Você não precisa pedir a presença de Deus - ele está com você; você tem a palavra dele a esse respeito. Mas, muitas vezes, você precisa pedir a percepção da presença dele (Isaías 41.10,13). Essa percepção é quase sempre induzida pela recordação da fidelidade de Deus no passado (Deuteronômio 7.18-19). "