sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Jesus: O Deus de Amor Eterno


Pode alguma coisa nos separar do amor que Cristo sente por nós?
Descendo do trono, Jesus removeu o seu manto de luz e cobriu-se de pele; pele pigmentada e humana. A luz do universo penetrou em um ventre escuro e úmido. Ele, a quem os anjos adoram, aninhou-se na placenta de uma camponesa, nasceu em uma noite fria, e dormiu sobre o feno das vacas.
Maria não sabia se devia lhe dar leite ou louvá-lo. Então, fez as duas coisas, pois, como ela conseguia imaginar, Ele estava faminto e era Santo.José não sabia se devia amá-lo de Júnior ou de Pai. Mas por fim acabou chamando-o de Jesus, pois foi assim que o anjo lhe havia ensinado. Além disso, José não tinha a menorideia sobre como chamar um Deus que ele podia embalar nos braços.
Você não acha que eles inclinaram suas cabeças e imaginaram: “O que, por todos os céus, você está fazendo Deus?” ou ainda, “Deus, o que está fazendo neste mundo?” E Deus responde: “Pode alguma coisa fazer com que eu pare de amar? Veja como eu falo a sua língua, durmo em sua terra e experimento o seu sofrimento”. Observe o Criador da vista e do som quando Ele espirra, tosse e assoa o nariz. Gostaria de saber quanto Ele compreende o que você sente? Olhe nos olhos vívidos da criança de Nazaré; é Deus caminhando para escola. Considere o pequeno à mesa de Maria; é Deus derramando o seu leite. Deseja saber quanto tempo o amor de Deus pode durar? Descubra a resposta em uma cruz lascada, em uma colina escarpada. Ele é aquEle que você vê lá em cima, o seu Criador, o seu Deus, pregado com pregos e sangrando. Coberto de cuspe e de pecados. É o seu pecado que Ele está sentindo. É a sua morte que Ele está morrendo. É a sua ressurreição que Ele está vivendo. Assim é o tamanho do amor de Deus por você.
“Pode alguma coisa interpor entre nós?” Pergunta o Filho primogênito.
Ouça a resposta e assegure o seu futuro nas triunfantes palavras de Paulo:
“Porque estou certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor!"(Rm 8.38-39)