terça-feira, 13 de março de 2012

Trabalhai não pela comida que perece


 
Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela que subsiste para a vida eterna, a qual o Filho do Homem vos dará; porque Deus, o Pai, o confirmou com o seu selo (Jo 6:27)
Mt 9:36-37; 24:45-47; Tt 1:1
O Senhor alimentou as multidões com o milagre da multiplicação de cinco pães e dois peixes que lhes foram entregues pelos discípulos. O desejo do Senhor ao fazer isso era mostrar para a multidão que eles deveriam trabalhar não pela comida que perece, mas pela que subsiste para a vida eterna. A verdadeira comida, pela qual podemos viver por meio do Senhor e cumprir Sua vontade, está revelada em Sua Palavra.
Dentre as pressões do mundo atual, a questão do sustento é uma das mais fortes na vida do homem. Precisamos ver na nossa própria situação o quanto temos sido dominados por isso e o quanto precisamos ser libertos para trabalhar pela comida que não perece, isto é, fazer a vontade do Pai.
Para os jovens, as cobranças para fazer curso de pós-graduação, mestrado, doutorado muitas vezes os distraem da verdadeira comissão que o Senhor nos confiou. Por isso, amados irmãos, vamos atentar para a Palavra do Senhor, que nos diz: "Eu sou o pão da vida". Ele é o pão da vida para nos suprir. Precisamos buscar trabalhar mais pela comida que não perece.
Dentro dessa orientação o Senhor nos deu outra ferramenta: a colportagem, para praticar a Palavra de Deus e infundir a Fé nas pessoas.
O colportor é um irmão no Senhor que se dedica a levar livros espirituais às pessoas com o objetivo de supri-las com a vida que há na Palavra e, assim, promover a Fé e o crescimento espiritual dos filhos de Deus (Tt 1:1). Nesse sentimento, para a formação e o aperfeiçoamento dos colportores, o Senhor nos deu os CEAPEs (Centros de Aperfeiçoamento para a Propagação do Evangelho).
Há uma multidão faminta aguardando quem irá supri-la com a palavra de Deus (Mt 9:36-37). Para atender essa multidão, o Senhor conta com cada um de nós. Vamos nos levantar, ser aperfeiçoados e sair ao encontro delas para lhes suprir vida. Quanto mais pessoas estiverem envolvidas com a comida que não perece, mais suprimento espiritual poderá ser levado aos filhos de Deus (24:45-47). Se assim praticarmos, seremos considerados servos fiéis e prudentes a quem o Senhor colocará sobre todas as coisas, no mundo que há de vir. Aleluia!