quinta-feira, 14 de junho de 2012

8)O Endemoniado, a Mulher e a Menina


Marcos, como já dissemos, relatou o encontro de Jesus com os três personagens acima. Ele usou todo o capítulo para registrar o que aconteceu. Existe realmente um grande perigo em se tentar espiritualizar tudo o que lemos na Bíblia, entretanto, acredito que em alguns lugares isso é permitido e tão evidente que não podemos negá-lo. Este é o caso de Marcos cinco. No parágrafo anterior, terminamos dizendo que carecemos de uma revelação completa de Romanos seis e oito. E o que temos nestes três capítulos? A libertação do domínio do pecado (6), a libertação da lei (7) e a libertação da morte (8).
a) O Endemoniado – Romanos 6
O endemoniado nos mostra claramente o domínio completo do pecado, manifestado na deterioração total daquele ser humano, criado à imagem e semelhança de Deus. Depois de quebrado o domínio de Satanás, nós o encontramos “sentado, vestido e em perfeito juízo” (Mc.5.15). Não é este um retrato incontestável de alguém que foi livre  do domínio do pecado? Estar “sentado” indica descanso e paz; o “perfeito juízo” indica a mente renovada e sob o controle do Espírito Santo; o “vestido” aponta para uma nova conduta de vida.

b) A Mulher com o Fluxo de Sangue – Romanos 7
No caso da mulher com o fluxo temos a manifestação da nossa força natural, visando solucionar o problema do fracasso espiritual. Ela gastou tudo o que possuía, sem nada aproveitar. Romanos sete mostra que devemos ser libertados da Lei. A Lei é a exigência de Deus sobre a nossa carne, e Deus a usa para revelar a nossa total incapacidade em obedecê-Lo. Ela é comparada a um marido severo que exige muito da esposa, mas nada faz para ajudá-la. Ele só a condena por seus erros. Romanos sete nos mostra Paulo gastando tudo quanto possuía, visando estancar aquela hemorragia da natureza caída. Mas tanto a mulher como Paulo encontraram a libertação no poder da vida de ressurreição do Senhor Jesus.

c) A Filha de Jairo – Romanos 8
A filha de Jairo manifesta o poder da morte secando e drenando tudo o que é atrativo e lindo. Na flor da idade, aos doze anos, quanto estava para entrar na adolescência da vida, a menina seca e morre. Ela representa a operação da “lei do pecado e da morte”. Não acontece assim com os cristãos? Estamos no desabrochar das afeições pelo Senhor Jesus, com nossos corações transbordando de afeto e gratidão e, repentinamente, vem o sopro da morte. O que é morte? É o estado de fraqueza em seu estágio final. Como foi quebrado o poder da morte na vida daquela menina? Pela Palavra de vida que saiu da boca do Senhor Jesus: “As minhas palavras (rhema) são espírito e vida” (Jo.6.63b); “Nem só de pão o homem viverá, mas de toda a palavra (rhema) que procede da boca de Deus” (Mt.4.4). Aqui temos Romanos oito: “Porque a Lei do Espírito e da Vida em Cristo Jesus te livrou da Lei do Pecado e da Morte” (v.2). As Palavras que saem da boca do Senhor Jesus são espírito e vida e esta é uma lei divina que produz sempre o mesmo resultado.
Verdadeiramente “grande” é a salvação que o Senhor Jesus nos deu (Hb.2.2). Ele nos liberta da culpa e do domínio do pecado, das exigências da lei quanto aos nossos fracassos e da operação da lei da morte. Graças a Deus por Sua obra maravilhosa e completa através de Jesus, demonstrada na vida do endemoniado, da mulher com o fluxo de sangue e da filha de Jairo. Que quadro sublime e tocante do grande amor e compaixão do nosso grande Sumo Sacerdote. Como somos encorajados a prosseguir seguindo o Capitão da nossa salvação, pois sabemos que “Aquele que começou em vós a boa obra, há de aperfeiçoá-la até o dia de Cristo Jesus” (Fl.1.6), pois Ele “pode salvar completamente os que por Ele se chegam a Deus, porquanto vive para interceder por eles” (Hb 7.25). Glórias e Aleluias ao nosso Senhor!