terça-feira, 30 de agosto de 2011

Santo e Profano Neemias- capítulo 13.

 
   Ne.13:1a3- Nestes versículos, o Senhor nos ensina uma lição importantíssima acerca da Santidade do nosso Deus. O Senhor ordena que os amonitas e moabita não participassem da congregação dos filhos de Israel. O Senhor havia separado um povo por sua descendência racial. Ele separou um povo Seu, zeloso de boas obras, um povo que deveria, exclusivamente, ser Dele e que não se contaminaria com outros povos e costumes (Dt.23:2a6). O Senhor dera ordem clara em Suas ordenanças dizendo assim: “Rejeitaram os estatutos e a aliança que (Deus) fizera com seus pais, como também as suas advertências (avisos) com que (Deus) protestara contra eles; seguiram os ídolos (“evangélicos”) e se tornaram vãos, e seguiram as nações (hábitos, costumes e cultura) que estavam em derredor deles, das quais o Senhor lhes havia ordenado que não as imitassem (não copiassem seus costumes, festividades e diversões carnais) 2 Reis17:15.
Deus promete libertação de Seu povo e separação de todos os outros povos (Isaias52:10a12). Precisamos ter uma clara compreensão acerca da Santidade do Nosso Deus e de como Ele conduz seu povo em cada época da história e em cada Testamento (Antigo e Novo), vejamos então:
No Velho Testamento, ou Antiga Aliança Deus separa e santifica para Si um povo conforme sua raça ou descendência. No Novo Testamento Deus se utiliza dos mesmos conceitos de santidade e irá separar um povo para Si conforme sua natureza, não mais pela raça e sim pelo Selo do Espírito SANTO (Efésios1:13). Deus classifica dois tipos de pessoas em sua essência, Ele separa aqueles que nasceram apenas uma vez, (Rom.5:12), ou seja, aqueles que nasceram somente da carne (Joao3:6a e João6:63) daqueles que nasceram duas vezes , tiveram um novo nascimento, nasceram do Espírito Santo (João3:6b), ao nascer do Espírito, tornaram-se espirituais, nasceram de novo, foram revestidos de uma nova natureza (João1:13), natureza divina, uma nova essência, tornaram-se filhos de Deus (João1:12).
            Deus anuncia que esses dois tipos de homens estariam sobre a terra e que “o nascido segundo a carne” perseguiria “o nascido segundo o Espírito” (Gálatas4:29). Uma perpétua inimizade estava estabelecida e Deus ordenara a todos os que Dele nascessem que se separassem de todo os que nasceram uma única vez (IICor.6:17 e II Tessalonicenses3:6) . Os nascidos de Deus, não vivem na prática do pecado (IJoao5:18), não podem misturar-se com aqueles que andam em obediência ao espírito governante deste mundo (IJoão5:19), porque estes possuem um forte amor pelo sistema regente no mundo (IJoão2:15), são dominados e aprisionados pela tríplice estrutura de domínio que o príncipe das trevas organizou afim de escravizar toda a humanidade perdida (IJoão2:16). Antes de estudarmos essa tríplice cadeia do inferno, concluímos, então, que  aos olhos de Deus existem apenas dois tipos de pessoas em todo o universo e que elas jamais poderão estar misturadas em sua essência, ainda que possam conviver no trabalho, na escola, nas repartições e até mesmo na mesma Igreja local, contudo, sempre estarão separadas por natureza, hábitos, costumes e cultura (I Cor.5:2). Deus ordenara sua separação e, também, o fato de que aquele nascido somente da carne iria, sempre, perseguir aquele que de Deus foi gerado, aquele que, verdadeiramente, nasceu de novo.
             Agora vamos estudar, separadamente, cada uma das algemas da tríplice cadeia do inferno que aprisiona os nascidos somente da carne ao sistema regente neste mundo, vejamos (I João2:16):
            -Concupiscência da carne: Tudo aquilo que o mundo utiliza para estimular nossos instintos carnais. Para que possamos compreender essa cadeia, precisaremos compreender quais são nossos mais básicos instintos carnais. São eles: Fome, sede, preservação da espécie (desejo sexual). Como satanás poderá trabalhar para estimular esses instintos e nos aprisionar com forças tremendas a este mundo?
Ele jamais fará isso de forma explícita, pois neste caso, seria facilmente descoberto; ele faz isso de forma velada, ele faz o homem estar sempre pensando em seu estômago, nas lanchonetes, bares, comidas exóticas, no desejo de trabalhar e envolver-se cada vez mais em atividades que mantenham suas despensas e prateleiras cheias com “os recursos deste mundo” (Lc.12:19) e o conforto de uma vida regalada. Os instintos sexuais, em sua grande maioria são ativados por aquilo que se vê, aquilo em que fixamos nossos olhos, que se olha por longo tempo, que se vê na TV. Os apelos sexuais aumentam dia após dia, cada vez mais, os homens amam seus lazeres, suas televisões, suas navegações na rede. Contam com grande alegria acerca das vultuosas somas gastas em televisões e sistemas de som. Investem, também, em canais privados onde se deliciam com as propagandas e todas as formas de consumo e entreterimentos pelos quais lutarão com todas as forças para adquirir, afundando-se, dia após dia, no desejo de serem felizes neste mundo, esquecendo o Reino porvir.
            -Concupiscência dos olhos: “Os olhos são a lâmpada do corpo, se os olhos forem bons, todo o corpo terá luz” (Mt.6:22). Como nos ensinou o Senhor Jesus, os olhos não são seduzidos apenas por apetites sexuais, pois nem todos cairão pelas mesmas armadilhas. Aqui, nesta cadeia, o inimigo utilizará as belezas e encantos deste mundo para seduzir aqueles que não caíram por outros meios. Lembro-me de um hino que dizia assim: “Passarinhos, belas flores, querem me encantar...... são vãos terrestres esplendores, mas contemplo o meu lar.....” O Autor desse belo hino, dizia que apreciava todas as maravilhosas obras que Deus fez neste mundo, mas o que ele, realmente, mais desejava, era estar para sempre junto ao Deus que fez as belas obras. Infelizmente, a grande maioria dos cristãos perderam a visão de peregrinos neste mundo e, através das concupiscência dos olhos, estão fascinados com os Shoppings, com os cinemas, com as belas artes de Hollywood, com o consumo desenfreado de tantos prazeres mundanos que chegam ao cúmulo de dizer que é agradável a Deus que tenham uma vida de prazeres neste mundo e, quando acabam de comprar mais um bem de consumo, como um carro ou uma casa, escrevem em grandes letras: “Foi deus que me deu, se você servir a este mesmo deus que eu sirvo (Mamon-Mt.6:24), ele também te dará bens neste mundo”. O deus deste século promete riquezas neste mundo (Lc.4:6), mas o Deus dos Céus, o Deus da Bíblia diz : “Quão dificilmente entrarão no Reino de Deus os que Têm riquezas”( Marcos10:23).
            -Soberba da vida: Em algumas traduções mais modernas, esta cadeia aparece com a seguinte frase: “ostentação dos bens”. Esta frase possui o mesmo sentido e amplia o significado da tradução mais antiga que diz “soberba da vida”. Perguntamos então: O que significaria essa cadeia? Como se interpreta, aos olhos de Deus, a soberba da vida ou a ostentação dos bens? Muito simples, queridos irmãos, vejamos um exemplo: Quem de nós um dia não sentiu prazer em exibir seus novos óculos escuros de griffs caras, suas novas roupas de etiqueta, sua nova moto ou carro, até dar testemunho na Igreja acerca dessa aquisição? Quantos de nós, algum dia, já não desejou aparecer no telão da Igreja para mostrar suas “boas obras” em nome de Deus? Isso se chama soberba da vida, ostentação dos bens e dos feitos. Quantos de nós já não trabalhou intensamente em busca do reconhecimento profissional, em busca da fama, em busca da recompensa terrena, seja no mundo secular ou na casa de Deus? Isso é soberba da vida!
 Satanás disse ao Senhor Jesus: “Transforma essas pedras em pão”, ou seja, mostre que você é o Filho de Deus, mostre sua capacidade, seu talento, cative o coração da platéia com seus “dons”. Isso é soberba da vida! Talvez, venhamos a nos perguntar: “Se é assim, então quem poderá ser salvo?”(Mc.10:26). Jesus é a Verdade, Ele nunca mentiu, Ele deixou claro que a porta estreita leva ao Reino de Deus, a porta larga leva ao reino dos homens (Lc.16:15), inicialmente, e seu fim é o inferno de fogo e enxofre. Precisamos escolher por qual porta iremos entrar, porque ninguém poderá servir a “dois senhores”.
            Assim, compreendemos a essência das duas espécies de pessoas que habitam o planeta terra. Os nascidos de Deus, que possuem a mente de Cristo (ICor.2:16) e os nascidos somente da carne,que possuem a mente do mundo (ICor.2:12e14). Estas duas classes de pessoas, que podem ser encontradas dentro da Igreja, ou nas repartições públicas e em lugares comuns do mundo, talvez não estejam separadas geograficamente ou etnicamente, mas, por ordem de Deus, estarão, essencialmente separadas por toda a eternidade, pois seguem caminhos diferentes e, a santidade de Deus não permite comunhão entre as suas naturezas e afeições. Foi assim no período de Neemias, foi assim na vida do Apóstolo Paulo e será assim na vida de todo verdadeiro discípulo de Cristo Jesus nosso Senhor.
            Ne.13:4- Após todo o ensino acerca da Santidade, veja que acontecimento incrível: “Eliasibe (membro nominal do povo de Deus), sacerdote encarregado da câmara da casa do nosso Deus (parte financeira), se tinha aparentado com Tobias (político)”. Vejam que abominação ocorreu junto ao povo de Deus, que aliança espúria, que coisa horrível fez o líder do povo de Deus chamado Eliasibe. Vejamos a conseqüência desta união abominável:
            Ne.13:5- O político ímpio Tobias agora tinha uma “câmara grande” dentro da casa de Deus. Ele poderia cuidar dos dízimos que antes ali eram depositados, ele cuidaria dos bens da Igreja. É possível até que Tobias pudesse ser um ótimo administrador e trazer muitas riquezas para a casa de Deus com seus projetos e sonhos de grandeza, mas isso seria um sacrifício aceitável ao Senhor???
            Ne.13:6a9- Aqui vemos uma notável diferença entre os dois tipos de crentes: Neemias o servo fiel e Eliasibe, o crente aparentado com o mundo. Ambos pertencem à mesma Igreja, fazem parte do povo de Deus, mas possuem atitudes muito diferentes. Eliasibe (carnal), faz aliança com Tobias, cria para ele uma participação na casa de Deus, para isso, Eliasibe remove os utensílios Santos, móveis e demais estruturas da casa e coloca, em seu lugar, os “móveis” de Tobias! Vemos que a casa de Deus, aparentemente, ainda é a mesma, todos poderiam dizer que fisicamente, externamente, é a mesma Casa, mas os olhos espirituais verão que grande mudança ocorreu em seu interior, que grandes mudanças ocorreram em suas “recâmeras”, em seus lugares mais escondidos e reclusos.
            Óh irmãos! Quão sutil costuma ser nosso arquiinimigo satanás, quão ardilosamente ele tem conseguido alianças com o povo de Deus, quão terrivelmente ele tem labutado para colocar suas mobílias nas câmaras da Igreja do Senhor. Que possamos ser como Neemias, ele não se conformava simplesmente com o curso das coisas! Ele não desistia do seu Deus; Ele reagiu, ele lutou, se indignou e tomou atitudes: “Atirei todos os móveis da casa de Tobias fora da câmara. Então ordenei que se purificassem as câmaras, e tornei a trazer para ali os utensílios da casa de Deus”. Que atitude maravilhosa podemos ver aqui! Que tremenda obra de restauração. Oxalá, pudéssemos restaurar a casa de Deus à antiga piedade e reverência a tanto perdida em nossos dias.
            Ne.13:10a14- Aqui vemos algo muito especial acontecendo com a casa de Deus. Neemias começa a restaurar a ordem das coisas. Ele inicia restaurando os levitas e cantores aos seus postos. Os levitas deveriam ministrar na casa de Deus. Deveriam cuidar dos sacrifícios e das ofertas alçadas ao Senhor, tinham muitas funções e trabalhos. Talvez em nossos dias, alguns modernistas possam dizer que uma Igreja “relevante” é aquela que faz boas obras sociais e trabalha junto ao estado ou a iniciativa privada, afim de proporcionar ao mundo uma sociedade mais justa. Este belíssimo discurso tem seduzido a muitos cristãos de nossos dias. Porém, o Senhor Jesus disse : “Que dizeis vós do Filho do homem? Pedro responde: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo” O Senhor então responde: Pedro, não foi carne ou sangue e nem qualquer argumento ou fundamento humano que te revelou isso, “mas meu Pai que está no céu e sobre esta rocha edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt.16:15a18). Que tremendo ensino nos dá o Senhor acerca da compreensão que devemos ter da Sua Igreja e de Sua missão, pois estão condicionadas a uma revelação do Pai; homens não podem compreender isso....! Homens, por motivos interesseiros e egoístas, buscam todas as técnicas possíveis para transformar a Igreja em uma ONG aceitável e elogiável ao mundo, afirmam que a Igreja “relevante” trabalha no social, tem interesses no bem comum. Óh, quanto isso parece louvável aos homens de negócios que recebem congratulações e tapinhas nas costas por seus feitos em prol do social! Mas a casa de oração, o templo do Espírito Santo, a nação Santa, a geração eleita de Deus arrancou suas raízes deste mundo e sua mais relevante obra é uma completa ruptura com o sistema corruptor do príncipe das trevas. Ela restaura o culto a Deus, exalta a Deus e seus sacrifícios por mais loucos e sangrentos que pareçam aos falsos crentes, sobem como cheiro suave às narinas de Nosso Deus! Os verdadeiros crentes sempre serão cheios de amor ao próximo e farão muitas obras sociais, mas nunca utilizarão isso como plataforma de auto-promoção e nem mesmo farão disso o objetivo de ser da Igreja. Pois a reunião da Igreja é um sacrifício de louvor ao nosso Deus, uma promoção da mensagem da cruz e não uma ferramenta de socialização mundana. Somos chamados ao deserto onde Deus nos fala ao coração (Oséias2:14) e não ao Egito, para construir monumentos mundanos (I Samuel 15:12).     
            Ne.13:15a22- “Naqueles dias, vi em Judá, os que pisavam lagares aos sábados”. Como afirmou Willian Kelly: “Não pretendo dizer que estamos debaixo da Lei do sábado, mas digo que precisamos de graça e que o Dia da Graça (domingo da ressurreição), devia ser, pelo menos, tão importante aos nossos olhos como o sábado era para o homem da Lei. E seria uma coisa pecaminosa se nós tomássemos vantagem do dia do Senhor para os nossos fins egoístas. O dia do Senhor tem um caráter de Santidade superior ao dia de sábado. O Dia do Senhor tem um caráter de graça sobre todos os filhos da Graça. Nunca devemos esquecer isto. Não é que não devemos utilizá-lo no espírito de Graça e liberdade; mas usá-lo para proveito próprio não é usá-lo para Cristo. É fazer o que fazem os gentios que não conhecem a Deus. Que jamais venhamos a ser como eles”.
            Ne.13:23a25- “Vi também naqueles dias judeus que tinham casado com mulheres asdoditas, amonitas e moabitas”. Podemos perceber que a contaminação do povo de Deus é sempre progressiva, um deslize do sacerdote Eliasibe, que se aparentou com mundo, unindo-se a Tobias, aparentemente algo sem muita importância, algo que muitos diriam “não ter nada a ver”, porém, este gesto abriu a janela da contaminação, pois quando o líder não se preocupa em dar o exemplo de uma vida santa, rapidamente os liderados irão pelo mesmo caminho. É isso que vemos aqui, uma desobediência coletiva, o povo de Deus começa a misturar-se com o povo do mundo em casamentos mistos e pecaminosos.
            “Seus filhos falavam meio asdodita”. Que estranho sotaque era esse! O Povo separado, o povo santo, agora possuía filhos com uma língua misturada, um estranho sotaque. “Falavam meio asdodita”. Como é triste quando, em nossos dias, após a reunião da Igreja, muitos crentes se reúnem para discutir acerca do campeonato de futebol, acerca dos seriados da televisão, as notícias do mundo artístico, eles não sabem discutir assuntos Bíblicos, eles perderam o coração de peregrinos, estão inteirados nos assuntos deste mundo, possuem o sotaque e a cultura de um povo mundano. Como deveria ser maravilhosa a chegada de Abraão em Canaã, todos deveriam dizer, este homem é um estrangeiro, ele não fala nossa língua! Mas o que vemos hoje no povo de Deus, é que estamos aparentados com este mundo, nossos assuntos, gostos e preferências, não passam de um mundanismo refinado, um erotismo menos apimentado, uma lascívia menos marcante, uma luxúria menos agressiva, um mundanismo maquiado, uma mente carnal e um sotaque egípcio, infelizmente, o mundo não pode nos rejeitar, pois, para eles, somos patrícios e não estrangeiros peregrinos; temos trocado o linguajar celestial pelo sotaque cananeu!
            “Contendi com eles, e os amaldiçoei e espanquei alguns deles, e lhes arranquei os cabelos”. Como essa atitude pode parecer estranha em nossos dias! Como um líder do povo de Deus poderia ter uma atitude tão radical e sangrenta contra o pecado? Espancar, agredir, arrancar os cabelos! Deveríamos agir da mesma forma em nossos dias em que o mundo tem-se aparentado tanto de nossas Igrejas? Gostaria de citar uma frase do Espírito Santo para a Igreja Neotestamentária: “Toda a escritura (Velho testamento) é divinamente inspirada, e proveitosa (útil, eficiente, atual) para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça (2Tim.3:16).
            É óbvio que nos tempos da Nova Aliança, certas práticas adotadas na Antiga aliança, não são mais aplicáveis literalmente, já que vivemos no ministério da Graça e não da Lei, no entanto, quero esclarecer o texto de 2Timóteo, pois este nos diz que toda escritura é inspirada a apta para o ensino, isso significa que devemos aprender com as atitudes e exemplos registrados no Velho Testamento e, aqui, nesta atitude de Neemias, vemos um homem que não brincava com o pecado, ele sabia o significado de santidade e separação, ele fez o que foi necessário para instruir e servir de exemplo ao povo de Deus, ele não relevou, não titubeou, ele agrediu o pecado, ele não permitiu a mistura mundana, ele foi às últimas conseqüências, não deveríamos seguir o exemplo deixado por este homem de Deus?
            Ne.13:26a31- “Porventura não pecou nisto Salomão........?” Que triste registro temos aqui: O grande rei Salomão que deveria, unicamente, ser lembrado por ter sido o mais sábio de todos os homens é, aqui, lembrado por ter sido um desobediente, por ter manchado seu ministério e ter sido causa da divisão da nação de Israel (IReis11:9a11). Este é um fato lamentável, uma triste verdade retratada na Santa Palavra de Deus; não deveríamos nós atentar para tão terríveis conseqüências? Salomão, um líder sábio e abençoado, não atentou para um detalhe, não imaginou que suas mulheres estrangeiras pudessem lhe contaminar o coração. Quantos de nós não estamos brincando com a mistura, quantos de nós não temos feito vistas grossas a pequenos pecados, pequenas permissividades, sem imaginar o tamanho da desgraça que isso poderá gerar em nossa caminhada cristã?
            “Também um dos filhos de Joiada, filho de Eliasibe, o sumo sacerdote, era genro de Sambalate, o horonita, por isso o afugentei de mim”. Oh! Quantos em nossos dias considerariam essa atitude radical demais? Neemias deixa claro que esses que toleravam a mistura, esses que recusavam separar-se do mundo, não poderiam ter comunhão com o povo santo! Teríamos coragem de tomar atitudes assim em nossos dias? Ou será que a Igreja do Deus vivo tem feito opção por ser politicamente correta aos olhos dos humanistas e profundamente manchada aos olhos do Pai? Infelizmente, a moderna Igreja ensina que, se um santo se une a um mundano e ambos caminham de mãos dadas na congregação, a santidade do santo irá contagiar a imundícia do mundano. Esta tem sido a tônica do ensino da Igreja da moderna, mas desejo esclarecer que a Palavra de Deus não ensina isso, antes, pelo contrário, nos ensina que a Santidade depende do Espírito Santo agido em nós e que isso só acontece quando somos fiéis aos ensinos das escrituras, não importando o quanto isso pareça louco para o mundo, nós temos que viver pela fé e não por aquilo que achamos ser politicamente correto. Não importa a opinião dos crentes carnais que não querem rejeitar o mundo, nossa posição é que: Santidade é separação e ponto final.
 Aqueles que o Espírito Santo acresce a Igreja deverão estar sujeitos ao Espírito da Palavra, não temos que mudar as ordenanças de nosso Deus para que fiquem agradáveis aos novos crentes, não , não devemos fazer isso, porque o Espírito Santo convence do pecado , o Espírito Santo acrescenta os que vão se convertendo, a nossa função é ser fiel e pregar o Evangelho da Verdade sem acréscimos ou decréscimos, sem ajustes nem técnicas humanas para adocicar o sal das vidas santas, e como bem disse nosso Senhor Jesus:
            “E de todos sereis odiados por causa do meu nome. Mas não perecerá um só cabelo da vossa cabeça. Na vossa paciência possuí as vossas almas” (Lucas21:17a19).
            Amém, que assim seja!!    

by Acyr Godoy