quarta-feira, 10 de julho de 2013

Marta e Maria - Espiritualidade vs Ansiedade



O leite fresco azeda ao ficar muito tempo em ambiente quente. Disposições frescas azedam pela mesma razão. Deixe um agravo ficar abafado sem um período de refrigeração e observe o resultado. Uma atitude ruim, amarga e coalhada.
É a história de Marta.  Uma alma fervorosa dada á hospitalidade e á organização. Mais moderada do que frívola, mais prática do que pensativa. Peça-lhe para escolher um livro e uma vassoura, e ela escolherá a vassoura.
Maria, porém irá preferir o livro. Maria é a rima de Marta. Os mesmos pais, prioridades diferentes. Marta tem coisas para fazer. Maria tem pensamentos para considerar.
Aparentemente, Marta se preocupava muito também. Tanto que começou a querer mandar em tudo. A preocupação fará o mesmo com você. Ela faz com que você esqueça quem está no comando.
O que torna este caso interessante, porém, é que Marta está preocupada com algo bom. Ela recebe JESUS em sua casa para jantar. Está literalmente servindo a DEUS. Seu objetivo é agradar a JESUS, mas , quando ela começa a trabalhar para Ele, seu trabalho torna-se mais importante do que o SENHOR. O que começou como uma maneira de servir a Jesus tornou-se lenta e subitamente uma maneira de servir a si própria.
Uma olhada em seu cenho coberto de farinha lhe dirá.
“Aquela Maria. Aqui estou eu sozinha na cozinha enquanto ela fica lá fora”. Puxa. Ela está zangada. Olhe para ela olhando por sobre os ombros, através da porta. É para Maria que ala está olhando fixamente. Aquela que está sentada no chão ouvindo Jesus. “Senhor não te importas que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe, pois que me ajude.” (Lc 10:40)
É fácil esquecer quem é o servo e quem deve ser servido.
Satanás sabe disso. Esta ferramenta de distorção é uma de suas astúcias. Observe que Satanás não tirou Marta da cozinha; ele agastou seu propósito na cozinha. Ela não agastará você do seu ministério; k
Guarde suas atitudes.
DEUS dotou você com talentos. Ele fez o mesmo com o seu próximo. Se você se preocupar com os talentos do próximo irá negligenciar os seus. Mas, se você se preocupar com os seus, poderá inspirar ambos.