quarta-feira, 31 de julho de 2013

Como DEUS criou o homem

 
Gênesis 2:04 – 3:24

DEUS o criador completou sua obra prima criando o homem e a mulher. DEUS soprou vida e espírito na obra especial de suas mãos. Embora o pecado haja entrado no mundo, DEUS providenciou a redenção do pecado. DEUS criou o ser humano com liberdade para escolhê-lo ou rejeitá-lo. Quando sua criação escolheu rebelar-se, Ele revelou seu plano de salvação.
Ele pôs um punhado de barro sobre o outro, até que uma forma sem vida jazesse sobre o solo...  Estava tudo em silêncio quando o Criador retirou de si mesmo algo que ainda não fora visto. “Chama-se ‘escolha’. A semente da escolha”.
A criação ficou em silêncio, fitando a forma sem vida.
Um anjo falou;
-Mas e se ele...
- Mas e se ele escolher não amar?
Completou o Criador.
- Venha, vou mostrar-lhe. Livres hoje, DEUS e o anjo adentraram o reino do amanhã.
O anjo perdeu o fôlego diante do que viu. Amor espontâneo. Devoção voluntária. Ele nunca vira algo assim... O anjo permaneceu sem fala, enquanto atravessavam séculos de repugnância. Ele jamais vira tanta sujeira. Corações maus. Promessas rompidas. Lealdades esquecidas...
O Criador avançou no tempo, cada vez mais adiante no futuro, até chegar junto a arvore. Uma árvore que seria transformada em um berço. Ele até pôde sentir o cheiro do feno que o cercava...
- Não seria mais fácil não plantar a semente? Não seria mais fácil não conceder a escolha?
-Seria
Respondeu devagar o Criador.
- Mas remover a escolha é remover o amor.
E eles entraram novamente no jardim. O Criador olhou seriamente para a criação de barro. Um a inundação de amor cresceu dentro dele. Ele morrera pela criação antes de havê-la feito. O vulto de DEUS curvou-se sobre a face esculpida e soprou. O pó moveu-se nos lábios do novo se. O peito levantou. Rachando a lama vermelha. As bochechas encarnaram. Um dedo mexeu-se. E um olho se abriu.
Porém, mais inacreditável que o movimento da carne foi o agitar-se do espírito. Aqueles que puderam ver o inusitado arfaram.
Talvez tenha sido o vento o primeiro a dizer. Talvez o que as estrelas vieram naquele momento seja o que as tem feito cintilar desde então. Talvez tenha ficado para um anjo cochichar.
- Parece com... parece demais com... é Ele!
O anjo não falava da face da feição, ou do corpo. Ele estava olhando dentro- para a alma.
- É eterna! - Ofegou outro.
Dentro do homem. DEUS havia posto uma semente divina. A semente de si mesmo. O DEUS de poder havia criado o mais poderosa da terra. O Criador criara não uma criatura, mais outro criador. E Aquele que escolhera amar criara um que poderia retribuir esse amor. Agora a escolha é nossa.
DEUS não nos criou como robôs. Louve-o por nos conceder capacidade de servi-lo e amá-lo espontaneamente. Agradeça-lhe pelos dons da liberdade e da criatividade. Separe tempo, hoje para o louvor criativo. Faça já esta escolha.
Leia mais sobre:
Espírito Humano Jó 32:08; Ec 12:07; At 7:59