terça-feira, 23 de julho de 2013

Uma reflexão de Jeremias 18



O profeta  estava em uma situação infernal! Literalmente. Como o personagem de Poe, estava "doente, a ponto de morrer". Mergulhado na desilusão e naufragado no desespero, amaldiçoou o dia em que nascera, e perguntou-se por que não houvera um aborto, que o matasse antes de seu nascimento...
Um exagero? Não exatamente. Leia você  mesmo os registros. O diário de Jeremias registra tudo.No capítulo 20, o principal oficial da casa do Senhor mandou açoitá-lo (quarenta chicotadas), e depois o prendeu no cepo. Isto quer dizer que os seus pés mãos e pescoço estavam preso só a um aparelhos de tortura  que fazia com que o coro quase se dobrasse ao meio. E isto lhe foi feito depois  que fora açoitado! Por quê? O profeta cometera algum crime? Não , Simplesmente afirmou a verdade. Fiz o que era certo - e isto foi o que recebeu como recompensa por parte dos homens de seus dias. Isto o magoou profundamente.
Para piorar a situação, a sua volta havia sussurros sarcásticos. Aqueles que foram  antes seus amigos agora lhe deram um apelido - MAGOS-MISSABIBE- que  significava "Terror-Por-Todos-Os-Lados". Isto também a magoou. Deve ter se sentido como uma boneca de um doberman zangado...
Jeremias está angustiado Profeta ou não, luta com a justiça de DEUS, com o estranho tratamento que receba de seu  povo. Lá no fundo, questiona  a presença de DEUS. "Onde o Senhor está? Por que DEUS desapareceu, bem na época em que mais preciso dele?"...
Que  sentimento de desespero!
E não é necessário estar preso a um cepo, nem ser açoitado. Não, algumas vezes o desespero vem no longo e escuro túnel do sofrimento, quando a dor não vai embora. Ou quando um cônjuge, que prometeria ficar "na alegria ou  na tristeza"  rompe aquele voto. Ou  quando um sonho de muito tempo se esvai como fumaça. Ou quando damos um beijo de adeus em alguém a quem amamos.
Nem sempre... mas mas em algumas ocasiões (normalmente não exteriorizadas, e ocultas nas câmaras secretas da nossa mente), questionamentos a justiça do Senhor. Perguntamos: " DEUS faltou hoje?
Nessas ocasiões, sinto-me  tentado a dizer o que o profeta disse:  "Não me lembrarei dele e não falarei mais no seu nome"(Jr 20:9b).
" É isso! Mexo no meu colarinho. Nada mais de sermões ou cultos para este pregador. Trabalho secular, lá vou eu!" Mas exatamente quando estou prestes a saltar, sinto o que Jeremias admitiu:"....mas isso foi o meu coração fogo ardente, encerrado nos meus ossos; e estou fatigado de sofrer e não posso" (20:9a).
Esta onda de esperança, este fogo purificador de confiança, este sentido renovado de determinação que crescem dentro de mim são diretamente enviados por DEUS. E o desapontamento é tranqüilamente substituído pela certeza dele, quando o Senhor me lembra  daquele glorioso clímax do hino que eu  sempre canto em seu louvor  a plenos pulmões:
"Está tudo bem, está tudo bem!"
Graças a DEUS, está tudo bem!" Recentemente, duvidei disso - como Jeremias. Mas hoje, não. A confiança voltou. A perspectiva divina proporcionou-me uma brisa  fresca de esperança no meio do inferno onde eu estava. Decidi que o desapontamento deve ir embora. Agora...e não mais tarde.