sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

01- Dentro dos Portais





Deus, por sua infinita misericórdia e graça, permitiu-me ir àquele belo lugar conhecido por nós como céu. A logística da minha viagem de ida para lá onde ele habi­ta e de volta para a terra não ficou muito clara para mim, mas estou plenamente certa quanto à sua realidade.

Como é que as incomparáveis maravilhas do céu fo­ram reveladas para uma simples mortal como eu? Vou começar pelo início de tudo.

Uma noite o Senhor me apareceu e me informou que eu havia sido escolhida para uma tarefa especial. Ele disse:  "Minha filha, eu me manifestarei a você para tirar pessoas das trevas para a luz. Eu a escolhi com um propósito  você deverá escrever e registrar as coisas que eu lhe mostrar e lhe disser."Submeti-me completamente a Deus, e coisas surpreendentes começaram a acontecer. Fui tomada de onde eu estava então e transportada para o próprio inferno. Ti­nha plena consciência dos meus cinco sentidos: eu podia ver, sentir, ouvir, cheirar e provar. Contudo, o que me acon­tecia era algo sobrenatural. Compreendi que o impacto que me atingira tinha um propósito.

E que, alguns dias depois de ter sido levada pelo Senhor ao inferno, o meu coração ficou muito compungido. Ele estava triste, e ardia por causa dos horrores que eu tinha visto. Eu presenciara o juízo de Deus sobre o pecado e sobre as pessoas que tinham ido para o inferno. Orei então ardentemente a Deus e busquei o seu conforto.

Na trigésima primeira noite depois desses eventos terem começado, o poder do Deus todo-poderoso veio so­bre mim. Às duas horas da madrugada um poderoso anjo apareceu ao lado da minha cama. Jesus Cristo estava atrás dele. Ao olhar para a face do Senhor ali em pé, ele sorriu para mim, mas não disse nada.

O poderoso mensageiro de Deus disse:

— Deus me deu uma missão especial. Fui enviado aqui para levá-la ao céu e mostrar-lhe alguns de seus lu­gares.

Depois de um momento, ele disse novamente:

— Venha ver a glória de Deus!

Imediatamente fui transportada sobrenaturalmente de minha casa e vi-me do lado de fora de um dos por­tais do céu, com aquele anjo celestial.

A irresistível beleza do que eu via em volta de mim era por demais emocionante! A vestimenta usada por aquele ser celestial parecia um traje brilhante feito de luz. O anjo tinha asas de forma triangular que resplandeciam com as cores do arco-íris. Embora eu não estivesse surpresa, estava maravilhada com a indescritível beleza de Deus, que se evidenciava em todas as coisas ao redor.

Em seguida o que vi foi o anjo fazer uma exclamação que foi repetida por ele várias vezes:

— Veja, é a glória de Deus!

O grandioso portal que estava diante de mim era esplendoroso e feito de uma sólida pérola. Grande admi­ração era tudo que eu podia absorver daquela maravilho­sa visão. Nesse ponto não dava para ver o Senhor em lu­gar algum, mas eu estava totalmente arrebatada pela gló­ria celestial.